Maracujá

AdobeStock_275213829.jpeg

Características

  • Nome Científico: Alpinia purpurata

  • Nomes Populares: Alpínia, Gengibre-vermelho

  • Família: Zingiberaceae

  • Categoria: Arbustos, Arbustos Tropicais, Flores Perenes

  • Clima: Equatorial, Oceânico, Subtropical, Tropical

  • Origem: Ásia, Indonésia, Oceania

  • Altura: 1.2 a 1.8 metros

  • Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno

  • Ciclo de Vida: Perene

Curiosidade

Maracujá (do tupi mara kuya, "fruto que se serve" ou "alimento na cuia") é um fruto produzido pelas plantas do género Passiflora (essencialmente da espécie Passiflora edulis) da família Passifloraceae. A planta, também conhecida como maracujazeiro, é espontânea nas zonas tropicais e subtropicais da América.

827d55ff-b2f4-4f65-8fd5-a32de44ae7fa.JPG
538a4894dae82.jpg

Frio? Tô fora!

Existem diversos tipos do fruto, como maracujá roxo, maracujá do mato, maracujá doce ou maracujá azedo, que se diferenciam quanto a cor da casca, da polpa e no sabor mais adocicado ou azedo. As folhas, flores e a polpa do fruto podem ser usados na forma de suco ou chás, a casca pode ser usada como farinha, adicionada a alimentos, e as flores também são usadas como suplementos em cápsulas.
Devido a algumas contraindicações e efeitos adversos, o consumo dos suplementos à base de maracujá devem ser feitos sob a recomendação de um médico ou outro profissional de saúde especializado em fitoterapia.

 

Benefícios do Maracujá

alpinia_600x600_4.jpg

Diminuir a ansiedade

O maracujá diminui os sintomas de ansiedade e estresse, pois é composto por flavonoides, como kaempferol e quercetina, que atuam diretamente no sistema nervoso, acalmando e promovendo o relaxamento.

Controlar e prevenir a diabetes

A polpa e as folhas do maracujá são ricos em antioxidantes, como vitamina C, betacarotenos, flavonoides e antocianinas que protegem as células responsáveis pela produção de insulina, ajudando no controle dos níveis de glicose no sangue e na prevenção da diabetes.
Além disso, a casca do fruto é rico em pectina, um tipo de fibra que ajuda na liberação lenta dos carboidratos dos alimentos no organismo, equilibrando os níveis de glicose no sangue, controlando a diabetes.

alpinia-purpurata.jpg
alpinia_600x600_1.jpg

Combater a insônia

Tanto as folhas, quanto as flores e a polpa do maracujá têm propriedades sedativas leves do sistema nervoso central, ajudando a combater a insônia e promovendo um sono mais tranquilo e revigorante.

 

Como usar o maracujá

O maracujá pode ser usado na forma de chá ou infusão usando folhas secas, frescas ou trituradas, flores ou fruto da planta, ou pode ser usado na forma de tintura, extrato ou em cápsulas.
Além disso, a polpa pode ser usada para fazer sucos naturais, compotas ou doces e a casca pode ser desidratada e usada como suplemento em alimentos e sucos.

alpinia_600x600_4.jpg

Chá de maracujá

O chá de maracujá pode ser preparado com folhas secas, frescas ou trituradas da planta, e pode ser usado para o tratamento da ansiedade, insônia e hiperatividade em crianças.

  • Ingredientes: 1 colher de chá de folhas secas ou trituradas de maracujá ou 2 colheres de chá de folhas frescas.

  • Modo de preparo: numa xícara de chá colocar as folhas secas, trituradas ou frescas do maracujá e adicionar 150 ml de água fervente. Tapar, deixar repousar durante 5 a 10 minutos e coar antes de beber.

Para o tratamento da insônia e ansiedade este chá deve ser bebido até 4 vezes por dia. Para auxiliar no tratamento da hiperatividade em crianças, a quantidade deve ser indicada por um pediatra.

Tintura de maracujá

A tintura de maracujá pode ser comprada em farmácias de manipulação ou lojas de produtos naturais e deve ser tomada 3 vezes por dia, sendo recomendada a ingestão de 2 a 4 ml de tintura, o equivalente a 40 - 80 gotas, diluídas em 50 ml de água, segundo orientações do médico ou fitoterapeuta.

alpinia-purpurata.jpg
alpinia_600x600_1.jpg

Farinha da casca de maracujá

A farinha da casca de maracujá pode ser encontrada em lojas de produtos naturais, supermercados ou farmácias, podendo-se adicionar 1 colher de sopa na água, em saladas ou ou outras preparações já prontas.

 

Efeitos adversos e contraindicações

Devido à sua ação no sistema nervoso e propriedade calmante, o efeito adverso mais comum do maracujá é a sonolência, principalmente se for ingerido em excesso. Por ter efeito calmante, não é aconselhável consumir fitoterápicos contendo o maracujá enquanto se opera máquinas ou dirige.
Como o maracujá pode baixar a pressão arterial, o consumo desse fruto é contraindicado para pessoas com pressão baixa, a não ser que seja liberado pelo médico. Da mesma forma que o maracujá deve ser evitado por quem usa medicamentos antidepressivos, calmantes e anticoagulantes.
O chá, as tinturas e os suplementos contendo o maracujá também não são indicados para crianças menores de 12 anos, mulheres grávidas e que estejam amamentando, pois não existem estudos que comprovem a segurança no consumo nestas situações.

alpinia_600x600_4.jpg

Efeitos adversos e contraindicações

A casca do maracujá é rica em fibras, como a pectina, que ajudam a diminuir a velocidade de digestão dos alimentos, diminuindo a fome e facilitando a perda de peso. 
Além disso, o maracujá também tem um efeito relaxante, o que pode ajudar a combater a compulsão alimentar, ajudando na perda de peso.

Evitar doenças cardiovasculares

Por conter altas quantidades de antioxidantes, como flavonoides e antocianinas, o maracujá melhora a saúde das artérias e impede a formação de radicais livres, favorecendo a prevenção de doenças crônicas, como aterosclerose, infarto, pressão alta e derrame.
A polpa e a casca do maracujá também são ricos em fibras que promovem a redução da absorção de gordura dos alimentos no intestino, regulando os níveis de colesterol e triglicerídeos no sangue.

alpinia-purpurata.jpg
alpinia_600x600_1.jpg

Combater a prisão de ventre

O maracujá combate a prisão de ventre, pois tem ótimas quantidades de fibras, importantes para facilitar a formação do bolo fecal e ajudar na eliminação das fezes.
Além disso, a pectina da casca do maracujá serve de alimento para as bactérias benéficas da flora intestinal, favorecendo o bom funcionamento do intestino.